Governo apresenta quatro propostas para evitar greve dos professores

A assessoria de comunicação do Governo do Estado emitiu nota à imprensa informando que fez quatro propostas aos professores da Rede Estadual de Ensino durante reunião nesta segunda-feira, 19, com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN), que podem deflagrar uma greve por tempo indeterminado nesta quinta-feira, 22.
As propostas são: 1) reajuste parcelado de abril a setembro para ativos e inativos; 2) reajuste parcelado em junho (3%) e setembro (3,81%) para ativos e inativos; reajuste de 3% em junho para ativos e inativos. Em julho seria pago mais 3,8% para os servidores da ativa e essa mesma porcentagem seria paga para os inativos no mês de setembro; e 4) reajuste de 6,81% para ativos em abril e os inativos receberiam em 5 parcelas de 1% e a 6ª de 1,81%, entre os meses de abril a setembro.
Em sua página oficial no Facebook, o Sinte/RN disse que a proposta de pagamento, de 3% em junho e 3,81% em setembro, foi recusada pela direção. O órgão revelou que pressão fez com que o Governo apresentasse uma nova proposta: pagar 3 % para ativos em junho e em julho seriam 3,81%. Para os aposentados a primeira parcela seria de 3% também em junho, mais 3,81% em setembro. Mais uma vez a direção pressionou por uma melhora na proposta.
Ainda de acordo com o sindicato, após diálogo com o governador, a secretária de educação Claudia Santa Rosa, apresentou a proposta que, segundo ela, seria a final: pagar 6,81% para os ativos em abril e neste mesmo mês iniciar o pagamento de seis parcelas de 1% para os aposentados, sendo a sexta a ser paga em setembro no percentual de 1,81%.
A primeira proposta apresentada pelo Governo foi conceder o reajuste de 6,81% em cinco parcelas, de julho a novembro deste ano. Essa proposta foi apresentada ao Sinte na última sexta-feira e rejeitada pela assembleia da categoria.
O Executivo lembra que as propostas do piso foram solicitadas com base na análise nos impactos financeiros e na importância de honrar os compromissos com a categoria, de modo que as finanças do estado suportem continuar a pagar a folha dos que estão na ativa dentro do mês trabalhado, antecipação do 13º salário para o mês de junho, e o restante em dezembro, um terço de férias em janeiro e que, sobretudo, não comprometa o planejamento em curso de colocar em dia 100% da folha do conjunto de servidores do estado, envolvendo os inativos da Educação.
“O RN é um dos poucos estados que, neste momento, discute a atualização dos vencimentos dos educadores, honrando, sem distinções, ativos e inativos. Esperamos que a categoria analise as propostas com abertura”, disse Cláudia Santa Rosa, durante a reunião.
As propostas serão avaliadas em assembleia que será realizada nesta quinta-feira às 14h na Escola Estadual Winston Churchill, no Centro de Natal.
Fonte: Jornal De Fato.

Leave a Comment

6 + vinte =